43

1954-3 

O marco zero de Elvis Presley e do Rock mundial


Em 05 de Junho de 1954

Pela 3a. vez, Elvis Presley volta à Sun Records.

Em janeiro, quando viera fazer sua 2a. sessão de gravações, Elvis conseguira ser ouvido (e gravado)  pelo proprietário, Sam Phillips, que acabara cedendo à insistência de sua secretária Marion Keisker, que desde as 1as. gravações do ano anterior interessara-se por  aquele belo rapaz e já falara  a Sam sobre ele. 

Sam Phillips gosta do que ouve e vê e acaba  anotando: “Elvis Presley – bom baladista, chamar na primeira oportunidade”.

A 1ª. oportunidade vem em junho, quando Sam  compra em Nashville uma canção, que exige um estilo diferente de cantar.

Ele  lembra, então,  do garoto das costeletas. As sessões iniciais de gravação contam com  o guitarrista Scotty Moore, o baixista  Bill Black  e  o baterista D.J. Fontana, músicos veteranos de estúdio, que Sam Phillips chama para acompanhar Elvis.

Para essa música especificamente Elvis não seria aprovado, porém, Sam  decide apostar nele.

Um mês se passa na Sun, com Elvis, Scotty, Bill e D.J  tocando e Sam gravando. Tocam basicamente melodias country,  música de rodeio, baladas, às vezes um hino, um blues. 

                                 
                
                     

          Scotty Moore           

                       Bill Black     

                              D.J. Fontana     

Noite de 5 de julho de 1954, 

marco zero da carreira de Elvis Presley (e do Rock mundial):

No intervalo entre vários takes de baladas country,  Elvis larga a Coca Cola e começa a brincar , pulando pelo estúdio, dançando uma mistura de country com Be Bop e ginástica. Scotty, Bill e D.J. aderem, acelerando o compasso, enquanto Elvis bate no  violão cantando That's all right, Mama num ritmo bem diferente (e mais rápido) que a gravação original de Arthur Big Boy Crudup, de 1946.

Da sala de controle, Sam grita: "Que diabos é isso?  Continuem, pelo amor de Deus, vamos gravar".

That's all right, mama é considerada o "marco inicial" não só da carreira de Elvis, mas, do próprio rock mundial.

O disco da gravação original (foto abaixo) é cotado hoje em torno de 90 mil dólares.

No lado b do disco Elvis grava Blue Moon of Kentucky, uma valsinha country originalmente composta e gravada em 1947 por Bill Monroe and his Blue Grass Boys.

A versão gravada por Elvis, porém, é tão acelerada, tão ritmada, que é imposível chamá-la de valsa ou country. Em breve isso teria um nome: Rockabilly, mistura de Rock and Roll, o ritmo básico dos negros, com o Hillibilly, a inflexão melódica e instrumental dos caipiras.

                            

           Ouça no link abaixo

That's all right, mama - Elvis Presley               

                              

Ouça no link abaixo

                          That’ s all right             

                            

Arthur Big Boy Crudup  

                               
                                     Ouça no link abaixo
        Blue Moon of Kentucky        
                                   
                                    Ouça no link abaixo 
        Blue moon of Kentucky          

Dois dias depois  de Elvis gravar este disco, em 7 de julho, as duas canções são executadas pela 1ª. vez em uma radio de Memphis(clique e ouça a apresentação) pelo disc-jockey Dewey Phillips (irmão de Sam Phillips),  e o resultado foi um absoluto sucesso, porém, apenas local.

Blue Moon of Kentucky chega ao 1º. lugar da parada country da revista Billboard na cidade de Memphis e  That’s all right, mama, atinge o 4º. lugar.

Em 17 de julho Elvis realiza seu primeiro espetáculo em Memphis.

No dia 16 de outubro ele tem o 1º. grande momento de sua carreira: realiza em Shreveport, Louisiana, um espetáculo chamado Louisiana Hayride,  onde é recebido entusiasmadamente pela platéia. O show é transmitido por um programa da radio local, KWKH,  de enorme sucesso.

                                
             
              
                 
             
              

43